Páginas

sexta-feira, 13 de março de 2009

Nascente

Ter um tempo para si
Parar, sentar, sentir a brisa
Olhar o horizonte
Sentir o perfume das flores
O calor do Sol matutino
O beijo do mar na praia
E a certeza que a natureza é sabia
E que esse dia é especial
E o melhor é saber que tudo isso
Se renova a cada dia

Manoel Gonçalves

2 comentários:

Escobar Franelas disse...

Poema outonal, primaveril, sutilmente invernal e - todos verão - infernal de tão a propóstio no entendimento dos delicados afagos e das delicias desse irmão-Sol, que você, tão deliricamente nos ofertou.

Manoel Gonçalves disse...

Obrigado, Escobar, pelo seu comentário quatro estações. Agradeço pelo carinho e pela leitura.
Abraços.