Páginas

quinta-feira, 26 de março de 2009

Presença

Aquilo que tenho

De fato não sei se é meu

Aquilo que conquisto

Não sei se é motivo de glória

Aquilo que digo

Talvez seja dito por alguém

Aquilo que escuto

Talvez seja uma voz

Ou um sopro, um sussurro

De quem só quer o meu bem

As coisas que faço

E que fazem de mim o que sou

Serão sentimentos que brotam

Ou presente que a mim chegou?

Só sei que quando penso

Assim, sabendo que existo

Que todo ar que respiro

Em tudo em que me inspiro

Sinto-me repleto de paz e amor

Da presença do Criador


Manoel Gonçalves

3 comentários:

acqua disse...

Há tanto em nós, não é? A gente nem sempre se dá conta, mas quando percebe que trazemos em nós sentimentos, sensações que nos preenche e ocupa nos mais diferentes momentos, isso sim faz a diferença. Belo carissimo...

Manoel Gonçalves disse...

Obrigado, Lunna. Certamente somos vários em um só. Mesmo que sejamos constantes em nosso caráter e jeito de ser, o mesmo não acontece com nossos sentimentos, pensamento e expressão. E tudo isso mexe com a nossa perfeição e imperfeição. É isso que nos faz especial e únicos. Abraços.

Anônimo disse...

Enveredar-se pelo caminho da arte é a grande e verdadeira paixão da alma. Pessoas que vivem nessas tortuosas estradas são diferentes das outras que escolhem, por serem fracos e, por isso, oprimidos, sistemas que incluam o dueto algoz e vítima.
Que bom é estar desse lado, nada birocrático e que a cria nasce espontaneamente, por vontade mesmo.

Adorei. Sucesso eterno
Vânia Coelho